5 cursos grátis e on-line para começar a empreender e fazer sua renda!

A prática empreendedora – ou em outras palavras: a construção do próprio negócio vem ganhando força nos últimos anos. Seja por desejo pessoal ou pela instabilidade do mercado de trabalho convencional, cada vez mais competitivo, fato é que tentar ‘fazer seu próprio dinheiro’ se tornou alternativa para muitos brasileiros. E, claro, sempre bom desmistificar o conceito de empreendedor associado com escritório grande e muitos funcionários. Sabemos que não existe somente esse modelo – muito importante, e também gerador de emprego -; mas, os pequenos negócios que dão oportunidade de geração de renda às famílias como os microempreendedores individuais. Quer exemplo? As pessoas que vendem bolos e salgados, manicures, barbeiros, pintores, profissionais de ajustes e manutenções, entre várias outras funções. 

De acordo com o Sebrae, para ser empreendedor, além de ter vontade e visão de negócios, a pessoa precisa: ser capaz de executar o que se propõe com muita vontade, determinação, competência e uma boa dose de ousadia; não medir esforços para atingir seus objetivos; ser consciente de que só se chega lá à custa de muito trabalho e dedicação.

São pessoas decididas, corajosas, capazes de correr riscos calculados, focadas, persistentes, otimistas, que estão sempre identificando oportunidades e agindo, entre outras características. Mas, para empreender não basta ficar somente na vontade, tem que partir para a prática de forma pensada, estruturada e se possível ‘segura’ do ponto de vista financeiro. Afinal, ninguém quer colocar o suado dinheiro em algo para perdê-lo no lugar de fazer dar frutos. Certo?

Se você pensa assim e essa é sua intenção confira 5 cursos inteiramente gratuitos e on-line para ajudar a empreender:

Aprender a empreender: conheça as principais características que um empreendedor deve ter e aprenda os conceitos básicos sobre empreendedorismo, marketing e finanças. Se você está querendo abrir um negócio ou se acabou de abrir este curso é para você!

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline/aprender-a-empreender,e361a0f015daa710VgnVCM100000d701210aRCRD

Como reconhecer características empreendedoras: neste curso você aprenderá sobre empreendedorismo e sobre as características que o empreendedor de sucesso deve ter para a tomada de decisões.

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline/como-reconhecer-caracteristicas-empreendedoras,0781a0f015daa710VgnVCM100000d701210aRCRD

Estratégia financeira para o crescimento: expandir exige planejamento e estratégia. Veja neste curso como elaborar um plano econômico e como identificar o capital necessário para o crescimento da empresa.

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline/estrategia-financeira-para-o-crescimento,fc61a0f015daa710VgnVCM100000d701210aRCRD

Customer success – Como conquistar e manter clientes: Compreenda o que é customer success (sucesso do cliente) e seus benefícios, assim como as métricas essenciais e o retorno sobre investimento.

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline/customer-success-como-conquistar-e-manter-clientes,2a61a0f015daa710VgnVCM100000d701210aRCRD

Marketing digital para o empreendedor: descubra como construir e monitorar uma estratégia de marketing digital para alavancar o seu negócio.

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/cursosonline/marketing-digital-para-o-empreendedor,8061a0f015daa710VgnVCM100000d701210aRCRD

Como se proteger de golpes da internet (e evitar de perder dinheiro)

Já diria o ditado: “o golpe tá aí, cai quem quer”. Que ele está aí, é verdade; mas, não cai “quem quer”, cai quem não tem informações que eles existem e nem sabe como se livrar dessas investidas de criminosos, por isso, separei os 4 principais golpes da internet que podem levar seu dinheiro

Agora, também para te ajudar a se proteger, selecionei mais dicas úteis.

  1. Mantenha a calma: uma das principais táticas dos fraudadores é criar um senso de urgência, dizendo que a pessoa precisa resolver o problema logo ou pode arcar com consequências – como perder uma promoção, pagar uma multa, ter o cartão clonado etc.
  2. Nunca revele senhas: nem ao telefone, nem por mensagem. Uma empresa séria jamais te pedirá dados confidenciais, nem o número completo e código de segurança de seu cartão.
  3. Recebeu uma ligação pedindo algum dado? Agradeça e desligue. Não revele nenhuma informação a quem te ligou. Após 5 minutos, entre em contato com a instituição pelo número divulgado em seu site oficial.
  4. Se vir uma promoção online, abra o site da loja: não confie em links passados por mensagem (nem de amigos!), vistos em redes sociais ou em qualquer outro lugar. Vá direto na fonte.
  5. Cheque sempre o destinatário de uma transferência ou pagamento: seja por boleto, Pix, TED ou qualquer outro meio, veja se os dados de quem vai receber batem com os da empresa ou da pessoa.
  6. Nunca permita acesso remoto ao seu computador ou celular: criminosos podem tentar se passar por técnicos de informática para “ajudar” a resolver algum problema.
  7. Não envie nada para quem entrou em contato: não mande prints de tela ou vídeos, nem mostre por videochamada nenhum QR Code.
  8. Na dúvida, cheque com seu conhecido se está falando com ele mesmo: se alguém que você conhece enviar uma mensagem pedindo dinheiro ou algum dado seu, ligue para confirmar se é verdade.
  9. Perdeu o celular? Avise as instituições assim que possível: os celulares têm muitos serviços que ficam automaticamente logados, como redes sociais. Se perder o aparelho ou for roubado, entre em contato com as instituições (começando por bancos ou fintechs em que tenha conta) para que elas possam fazer os bloqueios necessários.
  10. Crie senhas fortes: não use senhas óbvias (como sua data de aniversário ou a de alguém próximo) e tente não repeti-las, pelo menos em serviços mais importantes – como aplicativos de banco, por exemplo. Veja como criar senhas fortes e fáceis de serem lembradas.

Conheça os 4 principais golpes da internet que podem levar seu dinheiro

O dinheiro do trabalho demora a entrar, mas, por pessoas mal intencionadas ele pode partir em segundo. É o caso dos golpes da internet que tentam roubar informações ou valores mesmo. Que isso acontece não é novidade, mas, dia a após dia criminosos vestem ‘uma roupa nova’ em velhos crimes. “Pai, troquei de celular, salva esse número novo”. “Senhora, seu cartão foi clonado e precisará ser substituído”. “Amigo, pode fazer uma transferência pra mim e te pago amanhã?”. Todas essas frases, por exemplo, podem parecer inofensivas, mas elas têm algo em comum: são alguns dos artifícios usados por golpistas.

Nessa pandemia atravessada, infelizmente, essas práticas aumentaram mais de 400% só em e-mails fraudulentos ao longo de 2020, segundo a empresa de segurança NordVPN. Mensagens relacionadas à Covid-19 foram usadas em massa para tentar convencer as pessoas a clicar em links maliciosos ou enviar informações confidenciais.

Para não cair nessas trapaças, a melhor arma para se defender é a informação. Por isso, conheça alguns dos principais golpes da atualidade.

  • Golpe do site falso

A pessoa vê uma promoção nas redes sociais ou recebe um link de um amigo, e clica para poder comprar. É direcionada para uma página, faz a compra, informa seus dados e pronto – caiu no golpe. Isso acontece porque fraudadores conseguem criar sites falsos praticamente idênticos aos de lojas conhecidas. A vítima acredita que está no site verdadeiro, mas, ao inserir suas informações, quem ganha acesso a elas é o criminoso. Com isso, ele pode se passar por você, testar sua senha em outros sites para invadi-los e até fazer compras em seu nome.

Uma estratégia para evitar isso é sempre abrir o site da loja em uma aba separada. Em vez de clicar no anúncio, digite o nome da empresa no Google e entre – se a promoção existir de fato, poderá ser encontrada por lá. Se não achar, há altas chances de saber que era um golpe.

  • Golpe da venda falsa

Essa situação acontece quando alguém faz uma compra – via redes sociais, aplicativo de mensagem ou até em sites de e-commerce – e, no fim das contas, acaba nunca recebendo o produto. Muitas vezes, o golpista pede que o pagamento seja feito via Pix, já que a compensação é feita no próprio dia e, portanto, fica mais difícil para a vítima cancelar a operação.

Para se proteger, é importante observar algumas dicas de segurança antes de fazer qualquer compra desse tipo: cheque sempre as credenciais da loja (como o CNPJ) para garantir que ela é real e pesquise a reputação – uma busca rápida no Google revela se já houve reclamações ou denúncias de outros clientes. Sites como o Reclame Aqui e o Procon costumam reunir essas informações.

  • Golpe do motoboy

No golpe do motoboy, alguém se passa por atendente do seu banco e diz que houve algum problema – seu cartão foi clonado, por exemplo. O fraudador diz que irá enviar um motoboy para retirar o cartão para que ele possa ser substituído por um novo. Lendo assim pode parecer óbvio para algumas pessoas que se trata de um golpe, mas não é tão simples. Muitas vezes, a situação é plausível, com alguém bem treinado do outro lado da linha e até música de espera do banco.

Alguns criminosos chegam a orientar o “cliente” a cortar o cartão no meio, como se isso fosse uma prova de que ele não poderá ser usado novamente – sendo que, se o chip não estiver danificado, isso não importa e com o número e código de segurança é possível fazer compras digitais. Um golpe semelhante vem sendo usado do mesmo modo, com o um motoboy falso que apresenta uma máquina com visor quebrado, onde o valor debitado não aparece. Por isso, cuidado!

  • Golpe Central de Atendimento

Bem parecido com o golpe do motoboy, mas mais amplo: nele, a vítima interage com uma central de atendimento falsa (de um banco ou uma loja, por exemplo) que tenta convencê-lo a revelar diversos tipos de dados.

O Pix às vezes surge como isca: por exemplo, alguém fez uma compra em uma loja e, por algum motivo (como falha de segurança da empresa), essa informação é exposta. O fraudador liga dizendo que houve um problema com o Pix e pede alguns dados para resolver. Por ter tido acesso às informações da compra, ele consegue passar credibilidade: sabe o valor, a data, alguns dados básicos e acaba criando confiança; a vítima, então, acredita estar falando com um representante da loja.

Dependendo de quais dados forem passados, uma pessoa pode expor seus cadastros em outros sites ou até dar acesso a seu celular ou computador.

Saber da existência desses golpes já é uma ferramenta para não cair nessas técnicas de persuasão. Clique aqui e confira outras formas para evitar golpes (e perder dinheiro).

Quais medidas tomar se você desconfiar de vagas falsas ou golpe

Infelizmente, isso acontece: pessoas que publicam vagas de emprego que, na verdade, são apenas um chamariz para cadastros, cursos pagos ou até mesmo golpes financeiros. Por isso fiz um conteúdo sobre como identificar golpes disfarçados de oportunidades. Mas, após desconfiar dessa situação, confira atitudes que podem ser tomadas para checar se está em meio a um golpe.

  1. Verifique o nome da empresa que se diz interessada em você. Basta buscar na internet e verificar se ela existe e o que dizem sobre ela;
  2. Se encontrar canais oficiais da empresa, entre em contato e confirme as informações sobre o processo seletivo;
  3. Sempre que possível, pergunte nome e sobrenome da pessoa, e o nome correto da empresa que ela diz representar. Procure no Google por esse nome e verifique se a pessoa existe e se trabalha realmente naquela empresa na área de recrutamento e seleção;
  4. Fique atento ao número de telefone e ao remetente do e-mail usados no contato. Empresas sérias não usam nomes, remetentes ou fotos de perfil informais ou estranhos para entrar em contato. Normalmente, o email é nomedapessoa@nomedaempresa.com.br;
  5. Pergunte como a pessoa obteve seu contato. Caso a resposta não seja clara, insista na pergunta.

Caso identifique que a vaga é falsa, após essas confirmações, entre em contato com o canal em que verificou a vaga em questão e alerte para que mais pessoas não passem por isso e se deem mal.

Vagas falsas existem por aí: veja como identificar golpes disfarçados de oportunidades

Pessoas mal intencionadas podem tirar seu sossego – ou até mesmo seu dinheiro, em casos mais graves – e, pior, podem fazer isso usando vagas de emprego falsas para chamar a sua atenção. Aqui no Parceria Social de Empregos buscamos confirmar as vagas postadas, atentos aos sinais de fraudes, mas, absolutamente ninguém está livre de ser enganado. E, claro, a melhor forma de se prevenir é ter dupla atenção. Veja situações que podem te ajudar a identificar possíveis golpes.

O anúncio da vaga joga para um site estranho. Anúncios que levam para sites desconhecidos podem apenas querer pegar suas informações para montar um banco de dados e depois oferecer produtos e serviços.

Você se candidata e imediatamente recebe uma ligação. Outro sinal claro de que uma oportunidade não é verdadeira é receber uma ligação imediatamente após fazer a sua candidatura. Nesse tipo de situação, alguém pode usar os dados que você acabou de preencher para entrar em contato e oferecer algum produto ou serviço. Se isso acontecer, a dica é não assinar e não comprar nada, nem compartilhar dados bancários. É possível que você tenha caído em uma armadilha.

A vaga é muito genérica. Se você encontrar um anúncio que vale para qualquer candidato, fique esperto (ainda mais com salários maiores que a média do mercado). É possível que seja apenas um chamariz para uma empresa que quer montar um banco de dados e vender serviços a potenciais clientes. Um exemplo de vaga genérica é “profissional de tecnologia com função generalista que tenha mais de dois anos de experiência”.

Você precisa pagar para participar do processo seletivo. Redobre sua atenção caso alguém entre em contato com você pedindo que você pague qualquer coisa para participar de um processo de seleção. É fraude.

Você precisa pagar por um curso necessário para sua contratação. Se alguém te abordar pedindo que pague por um curso para fazer parte do processo seletivo também é fraude..

Você precisa fornecer informações pessoais por telefone ou Whatsapp. Fique atento sobre fornecer informações pessoais ou profissionais, seja por telefone ou Whatsapp, para qualquer pessoa que entre em contato com você. Pode se tratar também de um golpe para obter dados. Para tirar a prova, busque falar em algum canal oficial da empresa para garantir a solicitação das informações por esses canais, por exemplo. Busque memorizar essas situações e compartilhe com outras pessoas para que, cada vez mais, esses golpes percam força e deixem de existir.

Fonte de referência: https://www.vagas.com.br/profissoes/como-reconhecer-vagas-falsas-na-internet/

6 respostas completamente evitáveis em uma entrevista de emprego que podem acabar com sua chance de entrar na empresa

Em um mercado cada vez mais concorrido, deixar a melhor impressão possível durante uma entrevista é ter melhores chances de conquistar a vaga pretendida. Por isso separei seis pontos simples de atenção que, por serem tão básicos, por vezes passam batido na hora de conversar com o recrutador. Dá uma olhada para não colocar em prática essas respostas que desagradam quem está contratando:

1. Os problemas com os antigos empregadores

Falar de problemas com o antigo empregador não abona a favor do candidato, mesmo que ele tenha sido vítima de um mau patrão. O candidato que faz queixas pode ser olhado com negatividade pelo recrutador.

2. Falar de outras entrevistas

Blefar para pressionar o recrutador não costuma resultar. Só deve falar de outras entrevistas em que esteve se realmente tem uma forte chance de ser chamado para trabalhar em outro local ou se questionado por quem está o entrevistando.

3. A sua visão política

A sua opinião política não deve ser chamada à mesa da entrevista de emprego, a não ser que o cargo esteja relacionado com isso.

4. Os boatos que correm

Se correm boatos sobre a empresa não deve perguntar sobre isso ao recrutador. Por um lado demonstra que pesquisou sobre a empresa e que está atento ao que se passa, mas por outro está a colocar o recrutador numa situação extremamente desconfortável. Se não há fato, não há assunto.

5. “Não sei”

Uma coisa objetiva que não deve dizer numa entrevista de emprego é que não sabe. Se, por exemplo, lhe perguntam onde se vê em cinco anos, você deve ter uma visão de futuro e não responder simplesmente que não sabe ou não pensou a respeito. Até para as respostas que não tenha conhecimento prévio, uso seu repertório para mostrar o que melhor tem a oferecer em cada questionamento.

6. “Não gosto”

Outra atitude a evitar é comentar sobre o que não gosta. O negativismo é sempre mal recebido, ainda mais se for uma lista extensa de negativas. Caso não goste de se levantar cedo ou de trabalhar sobre pressão vai ter dificuldades em ficar com o emprego.

5 sites para fazer seu currículo de forma rápida, grátis a assertiva

A forma como você se apresenta a uma empresa na hora de concorrer a uma vaga no mercado de trabalho acaba contando bastante no processo seletivo. Para muitos departamentos de recursos humanos, a seleção começa já na hora de escolher quais currículos serão avaliados e quais já indicam que talvez alguém não sirva para uma determinada vaga (conheça 5 erros para não cometer na hora de fazer seu currículo).

Por isso separei ferramentas práticas e gratuitas para ajudar nessa missão de fazer um bom currículo.

  1. Gerador de currículo: https://www.geradordecurriculo.com.br/

Se você prefere um currículo básico, com texto simples e sem muita coisa além da informação em uma folha corrida, o Gerador de Currículo é mais do que o suficiente. Neste site brasileiro basta que você preencha os campos como em um cadastro para obter seu currículo pronto para impressão ou enviá-lo por e-mail.

Quer um currículo criativo e com apelo visual? O KickResume é uma ótima opção, pois ele traz inúmeras ferramentas para você criar um currículo mais descolado e moderno, mas sem deixar de lado o principal: o foco em suas informações. Aqui, você pode adicionar uma foto sua e depois salvar tudo em um documento PDF para imprimir ou mandar por e-mail.

O site tem versões pagas e gratuitas, mas essas grátis já cumprem muito bem a função. Tem opções do básico ao criativo, com todas as funções em português que facilitam a construção do documento, com ferramentas bem intuitivas. É possível exportar em imagem ou PDF.

Aqui já começa a fase dos serviços mais avançados para a criação de currículos. Simples de ser utilizado, o CV Maker está traduzido para português e oferece inúmeras ferramentas para você dar mais destaque ao seu currículo. Este serviço vai pouco além do básico, mas já oferece inúmeros temas para você escolher e permite ainda ter o resultado final em três formatos diferentes: HTML, documento de texto ou PDF.

O My Perfect Resume apresenta uma característica interessante: a possibilidade de importar seus dados de um currículo que você já tem em forma de documento do Word, por exemplo. Assim, o assistente deste serviço ajuda você a deixar seu currículo mais atraente — e tudo por meio de um passo a passo bem simples de ser executado.